Diego Arthur (à direita) e a seu vice, Bruno Anastácio (à esquerda). Foto: Ana Vieira.

Leonardo Godim para O Poder Popular.

Hoje dá-se início ao período oficial de campanha para as eleições municipais em todo o país. Em Ipatinga, o Partido Comunista Brasileiro oficializa suas candidaturas, com Diego Arthur à frente da chapa para prefeitura. Com um histórico forte na cidade, tendo emplacado a segunda posição nas eleições extemporâneas de 2018, os comunistas de Ipatinga estão confiantes nessas eleições. Unindo uma militância jovem com a experiência de vida e luta do partido mais antigo do país, o PCB de Ipatinga espera não só debater seu programa com o conjunto da população, mas também sair dessas eleições com a vitória nas urnas.

Diego Arthur é tatuador, comerciante, militante da União da Juventude Comunista, tem 29 anos e atua no movimento cultural e popular, sendo um dos fundadores da Intervenção Poética Popular Revolucionária, a IPPR. O coletivo cultural foi fundado no dia 7 de outubro, data em que é lembrado o Massacre de Ipatinga, um dos episódios mais sangrentos da história do Brasil. O Massacre ocorreu em 1963, quando soldados do Exército Brasileiro, sob ordens do então governador, atiraram diretamente sobre uma multidão de operários que faziam greve contra as péssimas condições de trabalho e contra as humilhações que sofriam na fábrica da Usiminas. Após anos fazendo intervenções nesse dia, Diego Arthur e outros militantes decidiram criar um coletivo permanente que usasse a arte e a cultura como um espaço de memória e de consciência sobre a realidade brasileira.

Diego Arthur, candidato do PCB a Prefeito de Ipatinga, Minas Gerais. Foto: Ana Vieira

Com esse espírito de botar a mão na massa, Diego assume a tarefa de representar o PCB nas eleições para prefeito esse ano, ao lado de Bruno Anastácio, candidato a vice-prefeito. Representando a juventude, Diego afirma que é um grande desafio participar dessa disputa, mas que conta com o apoio de todo o Partido e de camaradas de peso, como Daniel Cristiano, ex-candidato a prefeito de Ipatinga pelo PCB e candidato a vereador, e Bruna Thariny, sua companheira e também candidata a vereadora pelo PCB.

Bruna Thariny fortalece a chapa como candidata a vereadora em Ipatinga. Foto: Ana Veira.

O eixo de sua campanha, afirma Diego, é uma radical mudança na lógica que organiza a cidade. Se hoje Ipatinga é uma cidade que parece se organizar apenas para servir ao interesse das classes dominantes da região, o candidato à prefeito propõe um projeto de cidade que inverta essa lógica. Uma cidade que sirva aos trabalhadores é uma cidade que garanta condições de mobilidade urbana para todos, direitos sociais básicos como saúde e educação, que garanta atividades culturais e espaços de lazer que sejam acessíveis para o trabalhador, entre outras questões fundamentais na vida dos trabalhadores e trabalhadoras.

Isso só é possível, afirma, pela construção e fortalecimento do Poder Popular em Ipatinga, entendido como o poder de organização e decisão dos trabalhadores sobre seu próprio futuro. Para isso, é necessário fortalecer esses espaços de decisão, democratizando-os. Uma de suas propostas diz respeito aos Conselhos Populares, que hoje possuem uma paridade entre os membros eleitos e aqueles indicados pela prefeitura. Diego argumenta que todos os membros devem ser eleitos, de forma que as decisões tomadas pelo Conselho reflitam as decisões da maioria da população de Ipatinga.

O PCB de Ipatinga coloca a juventude à frente de sua chapa e propõe dar voz à essa juventude trabalhadora, revolucionária e pró-ativa. Diego Arthur é o representante desta nova geração de comunistas em Ipatinga e está ombro a ombro com o conjunto da militância do PCB para discutir os principais problemas da cidade e apresentar propostas que estejam ao lado dos trabalhadores e trabalhadoras, sem conchavos com a burguesia. Uma tarefa cheia de desafios, mas que a juventude comunista de Ipatinga enfrenterá com a cabeça erguida, até a vitória.

Diego Arthur, candidato a Prefeito de Ipatinga, MG, pelo PCB, conversa com moradora de Ipatinga. Foto: Ana Vieira