CANDIDATURAS DO PCB EM MINAS GERAIS NAS ELEIÇÕES 2022

O PCB luta pela construção de uma frente social e política, de caráter anticapitalista e anti-imperialista.

Conheça as nossas candidaturas e propostas!

GOVERNO DE MINAS 

RENATA REGINA E TUANI GUIMARÃES – VOTE 21 

Renata Regina

Renata é Secretária Política (Presidenta) do PCB em Belo Horizonte, compõe o Comitê Estadual e o Comitê Central do Partido. Renata é mulher negra, mãe, fotógrafa e Doula. Atua pela humanização do parto e nascimento, tem longa trajetória nas lutas da juventude, do movimento feminista e dos movimentos populares.

Integra a Coordenação Nacional do Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro (CFCAM) e participa da organização do 8 de Março Unificado RMBH e do Comitê de Solidariedade Maria do Carmo Souza Dantas.

Foi diretora de mulheres da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), presidenta da União Colegial de Minas Gerais (UCMG) e integrou a Coordenação Nacional da União da Juventude Comunista (UJC).

Tuani Guimarães

Tuani é militante sindical e popular, Professora de Sociologia da rede estadual, Mestra em Arquitetura e Urbanismo e estudante de Direito da UFOP. Atua principalmente no movimento sindical da educação estadual e nos movimentos dos Atingidos pela Mineração no Quadrilátero Aquífero/Ferrífero.


CANDIDATOS A DEPUTADO FEDERAL

DANIEL CRISTIANO – 2121

Clique aqui e saiba mais

JÚLIA ROCHA – 2100

Clique aqui e saiba mais

ESPAGUETE – 2117

Clique aqui e saiba mais

LÍVIA FLOR – 2135

Clique aqui e saiba mais

AMAURY ALONSO – 2113

Clique aqui e saiba mais

THOMÁS CARRIERI – 2188

Clique aqui e saiba mais

FLAVIANO DUELI – 2199

Clique aqui e saiba mais

IAGO CHAVES – 2122

Clique aqui e saiba mais

CANDIDATOS A DEPUTADO ESTADUAL

DUDA DAS CADEIRAS – 21210

CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

DIEGO ARTHUR – 21021

CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

uma alternativa popular e revolucionária para a classe trabalhadora mineira


CONTRA O NEOLIBERALISMO

O PCB se coloca no campo de oposição aos governos de Zema (Estadual) e de Kalil (Municipal). Ambos desenvolvem uma política neoliberal e promovem privatizações e retirada de direitos.

EM DEFESA DOS TRABALHADORES

Os candidatos do PCB se posicionam em defesa dos Serviços Públicos (Saúde, Educação, Assistência Social) e dos Servidores Públicos; e do piso salarial profissional, e das universidades estaduais (UEMG e UNIMONTES).

CONTRA AS PRIVATIZAÇÕES

O PCB se posiciona contra o Regime de Recuperação Fiscal (RRF) e a privatização das empresas públicas mineiras. O Partido defende mais concursos públicos e nomeações.


Precisamos derrotar o neoliberalismo em Minas e no Brasil e avançar na construção do Poder Popular e do Socialismo!

FAÇA SUA DOAÇÃO PARA A CAMPANHA DE RENATA E TUANI

Enquanto candidatos milionários têm altos recursos para fazer campanha e o poder econômico e seus interesses vêm prevalecendo, nossa campanha ao governo de Minas Gerais é construída por muitas mãos e recursos financeiros limitados.

A participação dos apoiadores é essencial na construção de uma campanha comprometida com as necessidades dos trabalhadores e justamente por não abrir mão da defesa irrestrita da nossa classe, nós enfrentamos muitos desafios, como o anticomunismo, o bloqueio da mídia e poucos recursos materiais.

AJUDE A FORTALECER A PRÉ-CANDIDATURA DE UMA TRABALHADORA PARA O GOVERNO DE MINAS!

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

SOFIA MANZANO E ANTONIO ALVES – VOTE 21

Programa anticapitalista e anti-imperialista para o Brasil

Somos pela revogação de todas as contrarreformas e toda a legislação neoliberal contrária aos interesses dos trabalhadores, da juventude e da população pobre; defendemos uma política que assegure emprego e moradia para todos, com a estatização dos transportes públicos e reestruturação da dívida interna; a revogação da Lei de Responsabilidade Fiscal e do teto dos gastos e a criação de uma Lei de Responsabilidade Social, que garanta recursos para investimento público no desenvolvimento do país e nas áreas sociais; a transformação do Banco Central num instrumento financiador das políticas governamentais, tanto econômicas quanto sociais; uma política para acabar com a fome e distribuir a renda, além de uma reforma tributária progressiva que taxe os lucros e dividendos, grandes fortunas e herança, transações financeiras, isentando da cobrança do imposto de renda quem ganha até cinco salários mínimos; além de uma política de recomposição das perdas salariais e valorização do salário mínimo, aliada a uma reforma agrária sob o controle popular e ao combate permanente a todas formas de opressão.