Foto: Ana Vieira

Daniel Cristiano (PCB) concorre às eleições para Câmara Municipal de Ipatinga este ano. Após três eleições para o Executivo, tendo recebido 19.300 votos em 2018 e emplacado o segundo lugar nas eleições extraordinárias, Daniel vai ao pleito com chances reais de vitória e fala sobre quais ações irá tomar se for eleito vereador da cidade de Ipatinga.

Com seu entusiasmo característico, Daniel Cristano afirma que o eixo de sua pré-candidatura são as demandas populares de Ipatinga, em especial da juventude trabalhadora e das mulheres. Ele busca se apresentar como um amplificador das vozes que constroem Ipatinga com as próprias mãos. Para isso, articula propostas que dêem uma possibilidade para juventude criar melhores condições de vida com bandeiras de participação efetiva dos bairros, distritos e zonas rurais na definição das políticas da cidade, entre tantas.

Sua relação com a cidade é intensa, diz ele. Nasceu em Coronel Fabriciano e mora em Ipatinga desde que nasceu, há 45 anos. Desde a infância e adolescência, participou das iniciativas desportivas, como atleta de futebol de campo, bicicross e voleibol. Também foi professor, técnico e árbitro de voleibol. Atuou como conselheiro tutelar da cidade, onde diz ter se confrontado com as piores vulnerabilidades sociais e com várias contradições do sistema capitalista em Ipatinga. Foi estudante de uma universidade privada, tendo passado brevemente pelo curso de educação física, mas fez o vestibular em outra faculdade e se formou em administração. Depois, concluiu uma pós-graduação em Gestão Pública Municipal na Universidade Federal de Viçosa (UFV). 

Daniel Cristiano também teve uma importante passagem pela comunicação social. Falou da importante experiência e aprendizado que teve, quando apresentou o programa “Comunidade na TV” da TV Caravelas, única TV Comunitária da Região Metropolitana do Vale do Aço, que é mantida pela Fundação Amigos do Vale do Aço de Ipatinga. Assim, se transformou em figura pública da cidade, desenvolvendo relação com o movimento sindical, esportivo, movimento cultural popular e todas expressões da luta dos trabalhadores e trabalhadoras por melhores condições de vida.

Durante a entrevista, Daniel enfatizou o signficado de sua participação nas eleições para vereador este ano, após anos concorrendo para prefeitura. O Partido Comunista Brasileiro em Ipatinga elaborou, nas referidas disputas – 2012, 2016 e 2018 –, planos de governo para a cidade discutindo os principais problemas existentes e como apresentar soluções que sejam do interesse dos trabalhadores. Com este mapeamento e propostas, Daniel Cristiano se propõe a levar demandas e projetos concretos ao parlamento municipal de Ipatinga.

Foto: Ana Vieira

Além de propor, afirma o papel do legislativo de fiscalizar todo uso da verba pública, em especial aquela dedicada a serviços básicos como saúde e educação, algo que afirma que não foi feito pelas últimas legislaturas, pois fizeram vista grossa para a péssima utilização do dinheiro público. Considera irresponsável por parte dos vereadores da atual legislatura a aprovação do pacote de empréstimo de R$73 milhões para o atual prefeito nas vésperas da eleição, medida que afirma ter sido eleitoreira, pois não leva em conta as demandas da cidade e amplia uma dívida que terá que ser paga pelos contribuintes. 

Muito preocupado com as mais de 175 mortes por causa da COVID-19 na cidade, Daniel diz que uma prefeitura administrada pelos comunistas, cuja chapa ficou em segundo lugar nas últimas eleições, teria lidado de forma completamente diferente com a pandemia. Diz que se medidas efetivas tivessem sido tomadas desde o início, com o uso da verba de mais de R$52 milhões que retornou para a cidade, para aplicar em capacitação, compra de equipamentos, insumos e equipamentos de proteção individual, contratação das equipes de saúde, montagem de leitos de UTI, compra dos testes e com foco nas medidas de prevenção, o número de mortes possivelmente seria menor e as famílias de Ipatinga não estariam sofrendo tanto com esse doloroso luto.

Sobre os problemas centrais de Ipatinga, Daniel vê que a juventude hoje não tem uma perspectiva nem de presente nem de futuro. Uma de suas propostas é encampar uma luta para que Ipatinga receba um campus de alguma das universidades estaduais ou federais de Minas Gerais. Por experiência própria, sabe quão difícil é para um jovem trabalhador tirar fatias cada vez maiores do seu salário para estudar e melhorar sua qualidade de vida. Afirma que na Comissão de Educação da Câmara Municipal de Ipatinga, junto com os movimentos populares, sociais e sindicais, poderá buscar o diálogo com  diversas instituições, avaliando quais demandas da cidade podem ser articuladas com as demandas de ensino, extensão e pesquisa das universidades. Uma cidade com o peso de Ipatinga não pode ficar refém de instituições privadas para formação profissional dos trabalhadores e das trabalhadoras.

Para além da formação profisisonal, Daniel Cristiano afirma que uma universidade seria capaz de criar um espaço de produção tecnológica, científica e cultural que se volte para os problemas da cidade e eleve as condições de vida do conjunto da população. Cita as novas tecnologias em torno de energia sustentável e captação de água que poderiam ser instaladas nas casas, em especial nas moradias populares, o que diminuiria o custo de vida para os trabalhadores de Ipatinga. 

O transporte urbano de Ipatinga é outro exemplo de um problema sério na cidade, pela sua ineficiência e alto custo, segregando a cidade mais do que aproximando-a. A passagem custa R$4,20, um valor maior que o da cidade de Juiz de Fora, por exemplo, mas com uma população menor e com um tempo de viagem ainda menor. Daniel Cristiano defende uma reformulação do transporte público de Ipatinga, visando uma proposta de transporte sem catraca, que onere os setores empresariais que mais se beneficiam com a mobilidade dos trabalhadores, e reduza os altos custos de vida da população.

São essas e outras propostas que Daniel quer levar à Câmara dos Vereadores de Ipatinga. Sem ilusões com a institucionalidade, o candidato do PCB entende que a única possibilidade dos trabalhadores e trabalhadoras conquistarem vitórias neste espaço é pelo fortalecimento de suas lutas e espaços de decisão próprios. Por isso, a plataforma do PCB para essas eleições dá grande ênfase na construção do Poder Popular. O Poder Popular em Ipatinga só poderá ser construído na medida em que os trabalhadores e trabalhadoras da cidade se tornarem formuladores e executores de suas demandas, criando uma autonomia nos locais de trabalho, estudo e moradia, diz Daniel.

Sua grande aposta é a possibilidade de que suas bandeiras sejam mais do que propostas individuais, mas reverberem as demandas mais importantes do povo trabalhador de Ipatinga e sejam verdadeiramente discutidas e encaminhadas pelos trabalhadores. Uma proposta ousada, porque ocupa este espaço institucional mas aponta para sua superação com outra lógica de exercício da democracia, onde os trabalhadores decidam diretamente pelo seu próprio futuro.

Daniel Cristiano tem ao seu lado todo o Bloco do Poder Popular do PCB, que junto à dele, lança diversas candidaturas para estas eleições. Junto com a juventude, com operários, estudantes, mães, trabalhadoras informais e toda diversidade do Bloco do Poder Popular em Ipatinga, Daniel coloca em marcha uma nova proposta de como Ipatinga deve ser, e quem deve mandar na cidade. Com ousadia, ele espera poder construir uma cidade melhor para aqueles que a constroem diariamente.

Foto: Ana Vieira