Mesmo nos marcos do capitalismo, há algumas atividades que não poderiam, de maneira nenhuma, estar nas mãos dos capitalistas.

O transporte coletivo é uma delas. A Educação é outra. A saúde também aí se enquadra.

São atividades que não podem visar o lucro. Têm, com certeza, que serem atividades objeto primordial de um Governo minimamente responsável, ainda que nos marcos do capitalismo.

O transporte coletivo, a Educação e a saúde, não podem ser atividades que visem o lucro.

Não são atividades para ficar rico, às custas do sofrimento do povo trabalhador e da juventude, da ignorância e da miséria humana.

Essas atividades precisam ser objeto da atenção e do carinho de qualquer administração pública que vise ao conforto, ao bem estar e aos cuidados com a saúde e não com a doença como se faz hoje no Brasil.

Considero que essas devam ser, entre outras, as medidas prioritárias para qualquer governo que se diga de esquerda, até que se destrua o pleonasmo e se implante o SOCIALISMO!

Emanuel Bonfante
Candidato a Vereador em BH.