Estimados camaradas!

O ano de 2019 foi marcado por diversas lutas da classe trabalhadora, da juventude e dos movimentos populares. O Partido Comunista Brasileiro (PCB), sua corrente sindical (Unidade Classista), sua juventude comunista (União da Juventude Comunista) e seus coletivos (Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro, Coletivo Negro  Minervino de Oliveira e LGBT Comunista) estiveram presentes na linha de frente em diversas lutas em Minas Gerais. Fizemos muita coisa e o registro histórico é fundamental. Estamos no caminho certo. Na luta pelo poder popular, pelo socialismo e comunismo. Fomos, somos e seremos comunistas!

Manifestamos nossa SOLIDARIEDADE INTERNACIONALISTA com a luta dos povos. Em especial, construímos o Comitê Mineiro de Solidariedade à Revolução Bolivariana, participamos das atividades da Associação Cultural José Marti, nos encontramos com os embaixadores de Cuba Socialista e da Venezuela Bolivariana. Manifestamos nosso apoio e solidariedade à luta do povo trabalhador chileno. E, promovemos debates sobre a luta de classes na América Latina. 

Construímos a UNIDADE DE AÇÃO juntamente com outras organizações de esquerda no enfrentamento aos governos Bolsonaro e Zema. Participamos do mandato da Deputada Estadual Andreia de Jesus, das Brigadas Populares e do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Realizamos conversas bilaterais, seminários e debates com nossos aliados. Enfrentamos processos políticos jurídicos e as tentativas de criminalização das lutas populares. Notadamente contra nossos camaradas na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Manifestamos nosso apoio e solidariedade aos companheiros e companheiras do MST, do MLB e das Brigadas Populares. 

Organizamos o PRIMEIRO DE MAIO DE LUTA em Belo Horizonte e participamos de ações em várias cidades do interior de Minas. Lutamos contra a Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro, participando ativamente da Greve Geral do dia 14 de junho em cidades de todas as regiões mineiras. Através do Bloco do Poder Popular ocupamos ruas e avenidas, fortalecendo a agitação política dos comunistas e gritamos ao lado dos movimentos populares no dia 07 de setembro. 

Avançamos na inserção dos comunistas na organização e LUTA DA CLASSE TRABALHADORA. Através das atividades do Comitê de Base dos Trabalhadores da Informação, participamos diretamente da vitoriosa campanha salarial da categoria. Participamos das eleições do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE), da Greve e mobilização dos trabalhadores da BHTRANS em defesa dos direitos da categoria. Lutamos contra o projeto de lei da Escola com mordaça. Participamos das mobilizações, protestos, greves e lutas dos trabalhadores em educação da rede municipal de Belo Horizonte, promovidas pelo SindRede-BH. Reativamos nosso trabalho no movimento comunitário. Mantivemos e ampliamos nossa atuação no ANDES-Sindicato Nacional. Manifestamos nosso apoio e solidariedade de classe na luta dos eletricitários contra a privatização da CEMIG e dos trabalhadores rurais em defesa do Estatuto do Trabalhador Rural. Participamos da Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora em São Paulo, garantimos a mobilização e presença no Seminário Nacional do Fórum Sindical, Popular e da Juventude e demos os primeiros passos na construção do Fórum em Minas Gerais.

Defendemos a EDUCAÇÃO PÚBLICA contra os ataques do Governo Bolsonaro e seus ministros da Educação, participando de assembleias, conselhos, atos, reuniões, plenárias, ações e mobilizações em todas as regiões de Minas. Levamos às ruas milhares de pessoas no mês de maio, forçando o Governo a recuar no corte do financiamento da educação, da ciência e da tecnologia. 

A União da Juventude Comunista (UJC) deu um salto qualitativo político organizativo e quantitativo construindo o Movimento UNIVERSIDADE POPULAR (MUP) e atuando em várias faculdades e universidades mineiras. Consolidamos nossa participação na diretoria da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG), em importantes Diretórios Estudantis (DCE UFMG, DCE UFTM e DCE UFLA), em três associações de pós-graduandos (APG UFMG, APG UNIFAL e APG UFTM) e em algumas executivas e federações de curso, Diretórios e Centros Acadêmicos. Também consolidamos nosso trabalho no movimento estudantil secundarista, com destaque para nossa participação na diretoria da Associação Metropolitana dos Estudantes Secundaristas de Belo Horizonte (AMES-BH). A UJC também promoveu, em conjunto com os demais coletivos do PCB e com a Unidade Classista, novas edições da Intervenção Poética Popular Revolucionária (IPPR) no Vale do Aço. E, realizamos com êxito o Curso Estadual de Formação Política da UJC no Triângulo Mineiro. 

Abrimos uma nova frente de trabalho na mineração, através da participação direta de militantes do PCB no Comitê Popular dos Atingidos pela Mineração em Itabira, no Vale do Rio Doce, de projetos e encontros sobre mineração em Mariana, na região dos Inconfidentes e contra a mineração no Serro, na região do Vale do Jequitinhonha. Defendemos a REESTATIZAÇÃO DA VALE sob controle popular.

O Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro teve destacada atuação neste ano de 2019. Participamos das LUTA DAS MULHERES trabalhadoras organizando o 8 de março e mantendo um calendário de mobilizações e lutas permanente. Promovemos debates, reuniões, atividades de formação e festas comemorativas. Mesmo com um trabalho político organizativo ainda incipiente, os coletivos Minervino de Oliveira e LGBT Comunista promoveram importantes atividades e caminham para sua consolidação. Realizamos importantes atividades de FORMAÇÃO POLÍTICA através da Fundação Dinarco Reis e do Instituto Caio Prado Junior. Formamos o Conselho Estadual do Instituto Caio Prado Junior em Minas Gerais. Lançamos livros e promovemos importantes debates. 

Em 2020, entre as diversas lutas da classe trabalhadora, da juventude e dos movimentos populares em que estaremos presentes, também participaremos de importantes PROCESSOS ELEITORAIS sindicais, estudantis e parlamentares. No primeiro semestre, teremos congressos e eleições sindicais importantíssimas. Com destaque para as eleições do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários em Juiz de Fora, para as diretorias do SINTAPPI-MG, APUBH e do SINDADOS-MG e para as diretorias e seções sindicais do ANDES-SN. No segundo semestre participaremos das eleições gerais municipais, buscando eleger nossos parlamentares comunistas em Belo Horizonte, Ipatinga e Sabará e fazendo um importante trabalho de agitação e propaganda nas demais cidades onde o PCB está organizado. Teremos também três importantes congressos estudantis: o congresso da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), da União Colegial de Minas Gerais e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES). Nestes processos de disputa contaremos com a disciplina revolucionária e os esforços individuais e coletivos de nossa militância e com o apoio de nossos simpatizantes, amigos e aliados, mantendo nosso princípio organizativo e o compromisso histórico com a construção do Partidão. 

Comemoramos os 97 anos do PCB, através da FESTA DO PODER POPULAR. Organizamos novas células do PCB no Estado, com destaque para o sul de Minas. Reativamos as células de Cultura e Saúde. Divulgamos, distribuímos e vendemos todas as edições do Jornal O Poder Popular. Percorremos as estradas de Minas abrindo caminhos para o fortalecimento do Partido. Iniciamos, com entusiasmo, o processo congressual do XVI Congresso do PCB e faremos da Etapa Estadual um momento político rico de debates, consolidando o processo de reconstrução revolucionária do PCB. O PCB segue firme na luta, crescendo e ampliando suas ações no Estado de Minas Gerais. 

Belo Horizonte, 31 de dezembro de 2019.

Túlio Lopes – Secretário Político do PCB Minas Gerais e Membro do Comitê Central.