Na reta final da disputa para vereança de Ipatinga, Daniel Cristiano intensifica o diálogo nas ruas. Com um longo histórico na cidade e apoiadores convictos, o candidato chega com força nas eleições desse ano, com grandes chances de um resultado vitorioso. Após 10 anos de militância no partido e de construção de laços de confiança com a população trabalhadora, Daniel se tornou uma grande figura da cidade, mesmo em um cenário difícil para os comunistas nacionalmente.

A possibilidade de eleição de um vereador comunista nessas eleições é a efetivação de uma construção de anos. Com a vitória, o PCB espera ampliar seu diálogo com a classe trabalhadora de Ipatinga e constituir uma sólida base nos setores estratégicos que operam na cidade. Sede da Usiminas, Ipatinga faz parte da Região Metropolitana do Vale do Aço e é um dos centros dinâmicos do grande capital monopolista brasileiro.

Mas, por enquanto, nada está garantido. Daniel busca consolidar-se como referência com uma campanha implacável nas ruas, portas de fábrica, garagens de ônibus, caminhões de som e na internet. Ontem, 10 de novembro, Daniel iniciou o dia às 4h30 na porta da Saritur, dialogando com os trabalhadores do transporte urbano que demonstraram conhecer e apoiar a candidatura. Em seguida, o candidato e seus apoiadores foram para porta da Usiminas, marcando sua presença. Em meio a uma torrente de panfletos, comum nessa reta final de campanha, Daniel manteve sua identidade – esteve lá com placas, dialogando com os trabalhadores e panfletando para aqueles que demonstravam interesse na candidatura. Depois das 7h, a panfletagem foi nas ruas de Ipatinga, prezando pela conversa e pelo convencimento.

Além da candidatura de Daniel, o PCB em Ipatinga conta com mais 13 candidaturas para vereança. Entre as buzinas e palavras de apoio que os apoiadores recebem durante a panfletagem, têm sido comum carros adesivados com material de outros/as camaradas. O destaque é Duda das Cadeiras, cuja campanha tem mobilizado muitos apoiadores e se enraíza nos bairros periféricos. Candidata pela primeira vez e recém-ingressa no partido, Duda é um dos nomes da nova geração de comunistas de Ipatinga que seguirão com o trabalho que Daniel e outros camaradas constroem há uma década.

Os candidatos dos comunistas em Ipatinga tem chamado a atenção das classes dominantes. Ataques e difamações aumentam nessa reta final, vindas principalmente da extrema-direita. Ipatinga, pela sua importância no cenário nacional, é palco de disputas do bolsonarismo, com interferência do próprio presidente. Ainda sim, a integridade de Daniel Cristiano e a confiança que o candidato inspira no povo trabalhador são as maiores defesas para estes ataques.

O resultado do dia 15, ao mesmo tempo que pode consumar o trabalho de anos em uma possível eleição de Daniel, apresenta desafios para os comunistas. Após décadas sem grandes tribunos populares atuando nos parlamentos, o PCB visualiza a possibilidade de ter dois vereadores/as eleitos/as. Ao mesmo tempo que a experiência parlamentar será um grande aprendizado para a atual geração do partido, surge a possibilidade de ampliar a influência do PCB no Vale do Aço e constituir uma forte base operária para as lutas futuras da classe trabalhadora. São avanços e aprendizados significativos, que deverão triunfar enquanto a atuação parlamentar for um ponto de apoio para as lutas da classe trabalhadora de Ipatinga, cuja composição operária em um setor do grande capital a coloca na vanguarda das lutas de classe do país.