Boletim Sofia Manzano #5 – 28/05 a 04/06

EDITORIAL: O apoio financeiro para nossa pré-candidatura presidencial é fundamenta!

As eleições gerais apresentam diversas contradições. A principal dela que demonstra claramente a desigualdade e os limites da democracia representativa, liberal burguesa é o financiamento público dos partidos políticos e suas pré-candidaturas. Sem contar o vínculo direto e indireto do poder econômico com os partidos políticos burgueses.

Além do vínculo direto e indireto com o poder econômico os partidos burgueses recebem a maior parte do Fundo Partidário e do Fundo Eleitoral. O União Brasil por exemplo contará com mais de R$1 bilhão de reais do fundo eleitoral. Se acrescentarmos o montante do Fundo Partidário, pago aos partidos políticos com representação parlamentar que superaram a cláusula de barreira de 1,5% dos votos válidos para a câmara federal em 2018, este valor fica ainda maior.

Focando no pragmatismo eleitoral e para além de importantes questões políticas estratégicas alguns Partidos de centro-esquerda formaram federações partidárias tendo como principal objetivo atingir a cláusula de barreira, manter e ampliar o acesso aos recursos dos fundos partidários e eleitorais.

A Federação entre PSOL e a REDE SUSTENTABILIDADE por exemplo caso supere a cláusula de barreira de 2% dos votos nestas eleições devem receber mais de R$500 milhões de recursos dos fundos nos próximos quatro anos, o que “justifica” a virada política destas organizações.

Mesmo recebendo a menor cota do Fundo Eleitoral o PCB é constantemente pressionado e ameaçado pela justiça burguesa, principalmente no tocante às questões burocráticas e contábeis. A nossa legalidade também é constantemente ameaçada e a extrema-direita segue defendendo a proibição do comunismo e dos Partidos Comunistas.

Para garantir e ampliar nossas atividades de pré-campanha é fundamental o apoio financeiro para nossa pré-candidatura presidencial. Por isso convocamos todas(os) camaradas do PCB, da juventude comunista, da corrente sindical Unidade Classista e dos coletivos partidários a engajarem no financiamento coletivo da pré-candidatura da professora Sofia Manzano à presidência da República.

Nossa pré-campanha é toda realizada com recursos próprios e ajuda dos(as) nossos(as) apoiadores(as). Enquanto pré-candidatos milionários têm altos recursos para fazer campanha e o poder econômico e seus interesses vêm prevalecendo, nossa pré-campanha é construída coletivamente com recursos financeiros limitados.

A participação da militância na construção de uma campanha com independência de classe e comprometida com as necessidades dos(as) trabalhadores(as) é essencial. Nós estamos enfrentando muitos desafios, como o anticomunismo, o bloqueio da mídia e poucos recursos materiais. Mas cada semana comprova a importância e a necessidade histórica da pré-candidatura presidencial comunista.

Vamos apoiar financeiramente nossa pré-candidatura presidencial e avançar na construção de uma alternativa popular e revolucionária para o povo trabalhador brasileira. Todo apoio à pré-candidatura da Sofia Manzano! Contribua com a candidatura e participe da construção da nossa campanha movimento pelo Poder Popular e pelo Socialismo-Comunismo! Acesse o link do nosso Quero Apoiar e contribua com a nossa pré-campanha:

https://www.queroapoiar.com.br/sofiamanzano

Sofia Manzano pauta a Redução da Jornada de Trabalho sem redução de salários e direitos como alternativa ao desemprego no Brasil

O PCB destaca em seu programa emergencial o combate ao desemprego. A luta pela redução da jornada de trabalho semanal para 30 horas sem redução dos salários, promovendo a criação de postos de trabalho e melhorando a qualidade de vida das trabalhadoras e dos trabalhadores. E, nossa pré-candidata à presidência da República pautou no debate presidencial a necessária Redução da Jornada de Trabalho para trinta horas semanais como medida concreta contra o desemprego estrutural no Brasil. Os comunistas do PCB defendem esta bandeira histórica da luta do proletariado internacional. Esta proposta teve forte repercussão nas redes sociais após entrevista concedida pela Sofia ao Jornal Correio Braziliense.

Nesta matéria o Diário de Pernambuco, há uma seleção dos melhores pontos da nossa entrevista.

https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/politica/2022/05/partido-comunista-quer-reduzir-jornada-de-trabalho-para-30-horas-seman.html

Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro manifesta apoio a Sofia

As medidas governamentais diante da pandemia, além de terem promovido um verdadeiro genocídio da população brasileira, agravaram ainda mais as mazelas que afetam a classe trabalhadora, mas sobretudo a vida das mulheres, em especial, negras e periféricas. Vivenciamos recordes de desemprego, diminuição da média salarial da população e a inflação segue subindo em níveis galopantes, puxada pelos preços dos combustíveis e dos alimentos.

O resultado disso é que mais da metade da população brasileira vive, atualmente, em insegurança alimentar e cerca de 20 milhões estão passando fome. A pobreza no Brasil cresce com cara de mulher negra: 33% das mulheres negras encontram-se hoje em situação de pobreza, sendo 12% em situação de extrema pobreza. Este é o índice mais alto dentre a população, seguido por homens negros e depois, mulheres brancas.

Uma grande parte das casas de nossa classe tem apenas uma mulher como responsável pela renda familiar e seguimos sendo a maioria entre a massa de desempregados e também nos empregos mais precarizados. Nossos salários, continuam em média mais baixos do que os salários dos homens e além dessas dificuldades, ainda acumulamos as duplas e triplas jornadas de trabalho com os afazeres do trabalho doméstico.

A ofensiva conservadora encabeçada pelo governo também se direciona aos nossos direitos sexuais e reprodutivos, a fim de criminalizar o aborto em todas as situações, inclusive quando apresentam risco para a vida das mulheres e em situações de estupro. Tal criminalização resulta diretamente em abortos clandestinos, adoecimento e mortes, principalmente para as mulheres negras e pobres, que não podem pagar clínicas em condições adequadas. Na PNA 2016, estimou-se 503 mil abortos clandestinos ao ano para o Brasil.

Além disso, a recente publicação de nova edição da Caderneta da Gestante pelo Ministério da Saúde ao retomar a episiotomia e a manobra de kristeller – ambas práticas que configuram violência obstétrica – aponta para um grave retrocesso no direito das mulheres e na saúde materno infantil no Brasil, país que já possui altos índices de violência para quem gesta: segundo a pesquisa Nascer no Brasil, 45% das gestantes atendidas no SUS são vítimas de maus tratos no parto, e segundo pesquisa da fundação Perseu Abramo, uma a cada 4 mulheres sofre violência obstétrica.

Por essas razões, o Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro manifesta seu apoio à pré-candidatura da camarada Sofia Manzano. Mulher, trabalhadora, feminista e comunista, Sofia representa um projeto de construção do Poder Popular nesse momento de disputa dos rumos do país. Já há vários anos militante das fileiras do Partido Comunista Brasileiro, não é uma mera representante dos interesses da classe trabalhadora, mas de fato atuante na histórica luta de classes, que, coerente com uma linha política de verdadeira derrota ao capitalismo, esteve presente na reconstrução revolucionária do PCB. Hoje Sofia Manzano compõe, para além da tarefa eleitoral, o Comitê Central do Partido e nunca esteve distante das ruas.

Conclamamos todas as mulheres com quem dialogamos nas trincheiras das lutas para se somarem na construção desse projeto – do Poder Popular. Um projeto que aponte medidas emergenciais com as reivindicações imediatas da classe trabalhadora contra a ofensiva burguesa e que também construa os caminhos para o conjunto de transformações de ruptura com a ordem do capital, no rumo do socialismo, ou seja, um projeto para a revolução brasileira.

Nossas pautas:

  1. Revogação imediata das contra reformas trabalhistas e previdenciárias e da emenda constitucional do teto de gastos;
  2. Em defesa do SUS totalmente público, estatal, universal, de qualidade, e com poder popular para garantir uma atenção integral à saúde das mulheres;
  3. Legalização do aborto – 100% público, legal e seguro, realizado pelo SUS;
  4. Pelo fim da violência obstétrica e por medidas que garantam o parto humanizado;
  5. Educação pública, gratuita, laica e de qualidade, não sexista, não racista, não LBTfofóbica e sensível à diversidade de gênero.
  6. Redução e tabelamento dos preços dos alimentos e do gás de cozinha;
  7. Para trabalhos iguais, salários iguais! Equiparação salarial já;
  8. Para gerar mais empregos: redução da jornada de trabalho para 30h semanais sem redução salarial;
  9. Pelo fim do racismo! Acabar com a guerra às drogas e o extermínio da população negra das periferias. Pela desmilitarização da polícia!
  10. Pelo fim do genocídio dos povos originários! Avançar na demarcação das terras indígenas;
  11. Pelo fim da violência contra as mulheres!
  12. Defesa das empresas públicas e reestatização de todas as empresas estratégicas;
  13. Pelo fortalecimento dos serviços públicos de saúde e educação por meio de maiores investimentos com controle popular e concursos públicos;
    Socialização do trabalho doméstico e dos cuidados com as crianças: Criação de restaurantes, escolas, creches e lavanderias populares, que funcionem em tempo integral, de qualidade e com acesso universal;
  14. Abaixo ao agronegócio, ao latifúndio e pela reforma urbana e agrária radical!
  15. Desapropriação dos terrenos e prédios ociosos para a construção de habitações populares, praças, parques e locais de lazer, acompanhada do plantio de árvores e preservação e ampliação de áreas verdes nas grandes cidades; nenhuma ação de despejo das comunidades que lutam legitimamente em defesa da moradia popular.

Atividades da última semana

No sábado (28), participamos da celebração do centenário do PCB em Salvador, onde divulamos nossa camisa temática e tivemos muitos encontros, shows e conversas inspiradoras com a militância e os amigos do partido.

Na quarta-feira (01), estivemos na Mega Rádio, em Vitória da Conquista, cidade baiana onde moro, trabalho e milito, para entrevista sobre a nossa pré-campanha. A entrevista teve transmissão no nosso instagram, onde você pode conferir na íntegra.

E por último, mas não menos importante, falamos sobre a participação dos comunistas nas eleições de 2022 no canal da Dimitra Vulcana, um papo bastante descontraído e muito importante. Não deixe de conferir o link a seguir:

* * *

Acesse as redes sociais da Sofia Manzano e acompanhe as atividades e posicionamentos da nossa pré-candidata

Facebook: @SofiaManzanoPCB

Instagram: @sofiamanzanopcb

Twitter: @SofiaManzanoPCB

Para agendar entrevistas com a Sofia, entre em contato com a nossa assessoria de imprensa através do e-mail assessoria.sofiapcb2022@gmail.com