De Leonardo Godim para O Poder Popular.

Bandeiras, panfletos, palavras de ordem e muita força de vontade. Essa era a imagem da rua Abílio Machado na tarde dessa quinta-feira, dia 22 de outubro, em Belo Horizonte. Em uma das principais atividades de campanha da chapa BH em Movimento até agora, Áurea Carolina e Léo Péricles marcaram presença e firmaram sua intenção de reverter o cenário colocado para prefeitura. Na última pesquisa de intenção de voto, Áurea ficou em terceiro lugar, com 5% das intenções, atrás de João Vitor Xavier (7%) e Alexandre Kalil (60%). Candidatos à vereador e vereadora do Partido Comunista Brasileiro também foram às ruas para apresentar suas propostas e buscar o apoio decisivo da população nesse momento.

Os candidatos Diego Miranda (21.000), Marianna Versiani, (21.902), Thiago Camargos (21.420) e Wellington Lemos (21.123) participaram da atividade. Enquanto panfletavam, o dirigente nacional e estadual do PCB, Túlio Lopes, falava no microfone sobre a importância dos trabalhadores de Belo Horizonte votarem em trabalhadores, que apoiem as lutas sociais e as reivindicações por direitos básicos que são cotidianamente negadas para o povo trabalhador na cidade. Túlio já foi candidato e nessas eleições está fortalecendo a chapa BH em Movimento e os candidatos comunistas para a Câmara dos Vereadores. Também esteve presente Renata Regina, liderança feminista e dirigente comunista, ex-candidata com forte votação no bairro Alípio de Melo.

“Nossa tarefa é o diálogo, fazendo avançar no seio do povo trabalho a clareza sobre a necessidade de alterar o atual estado de coisas, na perspectiva da revolução socialista e da derrubada da atual ofensiva burguesa”, afirma Diego Miranda, que é candidato a vereador pela primeira vez e atua no podcast Revolushow. Com isso em mente, os comunistas esperam eleger seus candidatos nessas eleições, para que possam atuar como tribunos populares na Câmara dos Vereadores.

Nas próximas semanas, o PCB estará nas ruas apresentando suas propostas e candidaturas. O calendário de atividades está cheio, com panfletagens por toda a cidade e ênfase no dialogo nos bairros e locais de trabalho. Com muitas incertezas sobre a futura composição da Câmera dos Vereadores, os comunistas batalham para que a bancada dos que defendem a classe trabalhadora esteja maior após as eleições.